Notícias da Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Turismo e Esportes - Escola Zeferino Antunes de Almeida

A Escola Municipal de Ensino Fundamental Zeferino Antunes de Almeida do Carajazinho, oportuniza a aprendizagem através do Projeto "Vivendo o folclore". Os alunos da 8ª série, na disciplina de Língua Portuguesa, orientados pela professora Vera Faganello produziram uma nova versão do cordel "Boitatá": Cuidado com o Boitatá

 

Quando venho chegando
O pessoal fica assustado
E vai logo se afastando
Muitos até saem gritando

Sou um bicho que tem fome
Sempre a procura de gente
Para comer os seus olhos
E ficar mais fluorescente

Nasci de uma desgraça
Que me aconteceu
Após um amor perdido
Todo o amor que tinha morreu.

Vagando pelas noites afora
As pessoas que me viam
Não deixava ir embora

Depois de uma grande chuva
Um raio forte me atingiu
Comecei a ficar estranho
Com medo, me atirei no rio
Acabei me transformando numa cobra
Como até hoje não se viu.

Vivo clareando os campos
Assustando pessoas de todas as idades
Matando e comendo olhos
Pra alimentar minha claridade.

Abaixo a versão original da lenda - Boitatá

Ver luz piscando ao longe
Me assusta só em pensar
Será que é vela acabando
Ou será que é Boitatá?

Depois que a grande chuva
Desabou sobre o sertão
Arrasando quase tudo
Veio logo a escuridão!

Uma cobra enorme com fome
Tão grande feito um dragão
Pra sobreviver engolia
Os olhos dos corpos no chão!

A cada olho tragado
Cresciam os olhos da serpente
Aumentando a luz do seu corpo
Que se tornava reluzente!

Assombrando rios e matas
Com seus olhos de gigante
O "coisa-de-fogo" atacava
Quem se colocava adiante!

Os homens olhavam assustados
O bicho sempre faminto
Formando por onde passava
Um luminoso labirinto!

Até que um dia morreu
E a luz do seu corpo emergiu
Se tornou um novo sol
O mais brilhante que se viu!